Arquivo do mês: novembro 2010

Cuidados na Aquisição da Casa Própria

A compra da casa própria é a concretização do grande sonho da maioria das pessoas e, com certeza, será o maior investimento que elas farão no decorrer de suas vidas. Precisa, portanto, ser uma operação cercada de uma série de cuidados.

Em primeiro lugar, é indispensável analisar-se a situação jurídica do imóvel. Deve-se solicitar, para tanto, ao Ofício Imobiliário, uma certidão da matrícula, onde estarão lançados quaisquer ônus que incidem sobre o bem. Em se tratando de uma casa, é sempre bom certificar-se de que a construção foi devidamente averbada; se se tratar de um apartamento em construção, a incorporação do edifício precisa estar registrada (nesse caso, deve-se examinar o memorial descritivo e as plantas da obra).

Em seguida, a idoneidade do vendedor necessita ser verificada. Cabe ao comprador certificar-se de que não há contra aquele ações judiciais ou protestos de títulos capazes de prejudicar a transação. A obtenção de certidões negativas expedidas pelo Judiciário e pelos cartórios competentes em nome do proprietário e do seu cônjuge (ou companheira, se for o caso) esclarecem o adquirente. Também é essencial confirmar se as despesas condominiais, taxas d’água, taxas de energia elétrica e IPTUs incidentes sobre o imóvel estão em dia. Indica-se, igualmente, investigar a situação fiscal do vendedor, solicitando a apresentação de negativas das fazendas municipal, estadual e federal e do INSS.

Na hora de assinar a escritura ou o contrato de promessa de venda e compra, veja como as prestações serão atualizadas. Como atualmente há pouca diferença entre os indexadores que apuram a inflação, maior atenção precisa ser dada aos juros remuneratórios que muitos vendedores cobram. Meio por cento a mais ou a menos pode significar uma boa diferença na conta final.

Se houver financiamento bancário, maior precaução ainda deve ser tomada em relação às taxas de juros, que chegam a variar de 4% a 12% ao ano. É bom lembrar que muitas vezes o mutuário paga todas as prestações ajustadas e, ao final do prazo, ainda se depara com um grande saldo devedor, chamado de “resíduo”.

Caso a entrega das chaves do imóvel dependa de algum fato, ele precisa estar plenamente identificado no contrato. Nas operações envolvendo imóvel alugado, o comprador deve solicitar ao vendedor a notificação encaminhada ao inquilino, dando-lhe o direito de preferência. Nos negócios abrangendo imóveis na planta, a data prevista para a expedição da carta de Habite-se necessita estar claramente determinada.

A clareza da cláusula que estípula as perdas e danos que um contratante deverá suportar caso rescinda o ajuste é de importância fundamental nos tempos que correm. Nela, deverá estar perfeitamente identificado o que é indenizável, já que nas relações de consumo não se tem mais aceito uma mera estipulação de altos percentuais sobre o valor do contrato ou a perda total das quantias pagas pelo comprador.

Por fim, não se pode esquecer uma frase que antigamente era vista nas capas das escrituras: “Quem não registra não é dono”. De fato, deixar de levar a registro uma escritura ou um contrato, pode fazer com que o comprador realize não o sonho, mas o pesadelo da casa própria.

Fonte: http://carlosalceu.com.br/blog/

 


Arras ou sinal de negócio…

Este documento se presta para pelo menos três situações:

1ª ) Garantir que o interesse de compra e venda das partes seja respeitado, sem interferências de outras situações de negócio.

2ª ) Determina que o valor acordado como “Sinal de negócio”, que de posse da imobiliárias ou corretor de imóveis habilitado, seja utilizado para pagamento de despesas referentes a documentação e ou da comissão devida.

3ª )  Em caso de desistência do negócio por qualquer das partes e se não houver acordo, o arras serve para ressarcir eventuais dados das partes.

Priberam – Dicionário da Língua Portuguesa

arras s. f. pl. 1. Bens que o noivo assegura à esposa no caso de ela lhe sobreviver.    2. Sinal (dado em dinheiro para segurança de contrato).     3. Garantia, penhor.

WWW.infodocorretor.com

 

O que é arras ou sinal?

Garantia, em dinheiro ou bens móveis, dada por um dos contratantes com a finalidade de firmar a presunção de acordo final e tornar obrigatório o contrato.

É, portanto, pacto acessório que depende da existência de um contrato principal e tem como função assegurar a execução da obrigação neste convencionada.

Na execução do contrato, as arras devem ser restituídas ou computadas como parte da prestação devida.

Porém, mediante cláusula expressa, pode-se estipular DIREITO DE ARREPENDIMENTO, perdendo o sinal dado quem deu arras e não executou o contrato e, se tal inexecução partir de quem a recebeu, poderá o outro pedir sua devolução em dobro.

Fonte: www.jurisway.org.br

Artigos retirados Código Civil de 2002

Art. 417. Se, por ocasião da conclusão do contrato, uma parte der à outra, a título de arras, dinheiro ou outro bem móvel, deverão as arras, em caso de execução, ser restituídas ou computadas na prestação devida, se do mesmo gênero da principal.

Art. 418. Se a parte que deu as arras não executar o contrato, poderá a outra tê-lo por desfeito, retendo-as; se a inexecução for de quem recebeu as arras, poderá quem as deu haver o contrato por desfeito, e exigir sua devolução mais o equivalente, com atualização monetária segundo índices oficiais regularmente estabelecidos, juros e honorários de advogado.

Art. 419. A parte inocente pode pedir indenização suplementar, se provar maior prejuízo, valendo as arras como taxa mínima. Pode, também, a parte inocente exigir a execução do contrato, com as perdas e danos, valendo as arras como o mínimo da indenização.

Art. 420. Se no contrato for estipulado o direito de arrependimento para qualquer das partes, as arras ou sinal terão função unicamente indenizatória. Neste caso, quem as deu perdê-las-á em benefício da outra parte; e quem as recebeu devolvê-las-á, mais o equivalente. Em ambos os casos não haverá direito a indenização suplementar.

 


O Maior Vendedor do Mundo.

 

Uma das atitudes mais esperadas de um profissional de vendas, em qualquer nível, é ser positivo na relação com seus clientes ou futuros clientes. Ou ainda, muito antes de estar tratando com seus clientes um bom profissional de deve ter uma atitude positiva em relação a vida.

A observação e a compreensão da essência humana dos hábitos e costumes, da ética e da verdade, possibilitam que a assertividade passe a ser  uma condição no dia a dia dos seus negócios.

Em o “MAIOR VENDEDOR DO MUNDO”, estão boas lições e um norte para o corretor que esta começando, o caminho indicado por OG MANDINO, com certeza mostra um bom início para quem planeja uma carreira de sucesso e cheia de realizações.

Boa Leitura…

 


Seja mais eficaz através de uma boa comunicação…


 

Os segredos para maximizar o poder da nossa comunicação podem parecer banais a primeira vista, mas são preciosos nos dias atuais.

•          Você consegue ficar calado? Aprender a ficar calado é sinal de amadurecimento. Antes de abrir a boca, pense no que vai falar e ava¬lie se o momento é oportuno. Quando se cala, você ouve melhor o que esta sendo dito, lhe proporciona mais compreensão do ponto de vista da outra pessoa.

•          Ouça antes de falar: sempre que começamos a responder antes que o outro termi¬ne o que tem a dizer, passamos a impressão de que somos mal educados e geralmente concluímos a frase do outro com conclusões erradas, fazendo isso, damos a impressão de sermos indelicado e autoritário.

•          Pare enquanto está ganhando: quando começam a falar, muitas pessoas têm dificuldade de parar. Quando você continua falando depois de ter dito o que desejava, é bem possível que saia alguma coisa que não precisava ser dita. Use poucas palavras para expressar o que quer e depois se cale. Aquele que é capaz de defender um argumento forte com poucas palavras é sempre admirado por todos.

•          Sempre diga a verdade: quem mente acha que está sendo mais esperto do que o outro, mas dizer a verdade é sem sombra de dúvida uma atitude inteligente e cria uma base sólida para a integridade sobre a qual po¬demos construir nossa vida e reputação.

 



Você é Corretor de Imóveis? Ou quer ser um?

Prepare-se, Algumas características são desejáveis e outras exigidas de você.

A Função básica do corretor de imóveis é por assim dizer “INTERMEDIAR”  cliente  dispostos a comprar ou vender imóveis.  Como profissional ele oferece aos seus clientes o conhecimento necessário para iniciar e encerrar a negociação atendendo todos os requisitos para que ambas as partes saiam satisfeitas e tranqüilas sem que tenham problemas futuros.

A especialização deste profissional, faz com que clientes compradores e vendedores cada vez mais exigentes, direcionem seus negócios para ele.

Muitas vezes o corretor se depara com a solidão que justamente pela lógica dos negócios e pela importância estratégica das informações que ele detém não se pode trocar idéias com ninguém, ele tem que ter paciência e calma para que as coisas aconteçam no momento certo… Isso pode levar meses.

Antes de mais nada, ele deve ter no sangue e gostar muito do que faz ou vai fazer, ter vontade e gosto por vendas.

Além da paciência ele deve ser proativo, com boa capacidade para lidar com o público, boa argumentação, empatia, e ser carismático.

Ter bom conhecimento do mercado, bem informado de tudo que ocorre em sua volta, ter raciocínio lógico e espacial desenvolvido.

O que se vê hoje em qualquer mercado ou função de vendas complexas é a exigência de profissionais bem preparados e enxergando novas possibilidades. Com estas características acima  e um pouco de talento e possível se manter por muitos anos neste mercado tão competitivo.


Corretor de Imóveis Multimídia

O corretor de imóveis de hoje com olhos no futuro tem que necessariamente circular amigavelmente nas novas tecnologias, aquele papo de que não gosto de computador ou de celular, te exclui rapidamente de qualquer processo.

Com o mundo globalizado e tecnologias a sua disposição a um apertar de botão, seu cliente acessa seu ambiente virtual e fecha negócios a distância, a possibilidade de que ele esteja do outro lado do mundo e real e acontece na velocidade da luz, seu negócio deixou de ser local para atender a necessidades de clientes que vislumbram bons negócios a distância.  Seu produto tem que estar exposto de forma adequada, pois isso lhe garantirá acessos a negócios nunca antes imaginados.

Telefones celulares, Notebooks, Sites, portais de nada adiantam se a linguagem, exposição e técnicas de apresentação não forem adequadas.

Falar em público, enviar e-mails, receber e-mails e responder rapidamente dando respostas as demandas de seus clientes são hoje condição e não mais espelho de uma organização moderna

Suas necessidades aumentaram muito, seu conhecimento possivelmente seja pouco para atender as necessidades dos seus clientes e do mercado. Portanto correr atrás do prejuízo e se atualizar esta na ordem do dia.

Por Clovis Ribeiro – Infodocorretor


Investimentos em imóveis… Lucro garantido.

A grande questão levantada pelos  investimentos em imóveis é sempre a mesma, se esta operação lhe garante retorno real, comparada a outros tipos de investimentos.

Para um investidor em imóveis não basta tão somente projeções ou hipóteses sobre o resultado das suas aplicações. Se não houver sustentação em uma base sólida com resultados reais a atitude natural é de recuar e procurar outro tipo investimentos

Comparando o investimento em caderneta de poupança com rendimento médio entre 7 a 8,5% a.a, com um  apartamentos de alto padrão em Balneário Camboriú, percebe-se que enquanto a poupança, em três anos rendeu em torno de 25%, o investimento em imóveis rendeu 25% a.a, mais do que dobrou.

Veja quadro comparativo abaixo.

INVESTIMENTOS 1º Ano 2º Ano 3º Ano
Poupança R$ 750.000,00 R$ 805.000,00 R$ 865.000,00 R$ 930.000,00
Imóvel Alto Padrão R$ 750.000,00 R$ 945.000,00 R$ 1.190.000,00 R$ 1.500.200,00

O mercado de imóveis do norte catarinense tem evoluído e de forma sistemática mostrado solidez e uma grande capacidade de adaptação as mudanças e dificuldades impostas pelo mercado globalizado, empresas fortes com empreendedores sensíveis que desenham novos cenários multiplicando de forma segura as possibilidades de bons negócios.

Por: Clovis Ribeiro