Arquivo da categoria: Clovis Ribeiro

Corretor de Imóveis Multimídia

MultimidiaO corretor de imóveis de hoje com olhos no futuro tem que necessariamente circular amigavelmente nas novas tecnologias, aquele papo de que não gosto de computador ou de celular, te exclui rapidamente de qualquer processo.

Com o mundo globalizado e tecnologias a sua disposição a um apertar de botão, seu cliente acessa seu ambiente virtual e fecha negócios a distância, a possibilidade de que ele esteja do outro lado do mundo e real e acontece na velocidade da luz, seu negócio deixou de ser local para atender a necessidades de clientes que vislumbram bons negócios a distância.  Seu produto tem que estar exposto de forma adequada, pois isso lhe garantirá acessos a negócios nunca antes imaginados.

Telefones celulares, Notebooks, Sites, portais de nada adiantam se a linguagem, exposição e técnicas de apresentação não forem adequadas.

Falar em público, enviar e-mails, receber e-mails e responder rapidamente dando respostas as demandas de seus clientes são hoje condição e não mais espelho de uma organização moderna

Suas necessidades aumentaram muito, seu conhecimento possivelmente seja pouco para atender as necessidades dos seus clientes e do mercado. Portanto correr atrás do prejuízo e se atualizar esta na ordem do dia.

Por Clovis Ribeiro – Infodocorretor


Percepção – Por Falta Dela seu Negócio Pode Estar em Risco… Leia, vale a pena…

Circula nas redes sociais uma pesquisa feita pelo Washington Post sobre percepção e entre outras observações nos leva a perceber que o contexto o entorno entre outros fatores são itens que se não considerados com a devido cuidado fazem com que seu trabalho seja em vão.

Uma leitura necessária. Percepção.

Um homem sentou-se em uma estação de metro em Washington DC e começou a tocar violino; era uma fria manhã de Janeiro. Ele tocou 6 peças de Bach por aproximadamente 45 minutos. Durante esse tempo, considerando que era horário de pico, calcula-se que 1100 pessoas passaram pela estação, a maioria a caminho pro trabalho.

Três minutos se passaram, e um homem de meia-idade percebeu que um músico estava tocando. Ele diminuiu o passo, parou por alguns segundos, e então apressou-se a seus compromissos.
Um minuto depois, o violinista recebeu sua primeira gorjeta de 1 dólar: uma mulher arremessou o dinheiro na caixa e continuou a andar.
Alguns minutos depois, alguém encostou-se na parede para ouvi-lo, mas o homem olhou para seu relógio e voltou a andar. Obviamente ele estava atrasado para o trabalho.

O qual prestou mais atenção foi um garoto de 3 anos de idade. Sua mãe que o trazia, o apressou, mas o garoto parou pra olhar o violinista. Por fim, a mãe o empurrou fortemente, e a criança continuou a andar, virando sua cabeça a toda hora. Essa ação se repetiu por muitas outras crianças. Todos os pais, sem exceções, os forçaram a seguir andando.

Nos 45 minutos que o músico tocou, apenas 6 pessoas pararam e ficaram lá por um tempo. Aproximadamente 20 o deram dinheiro, mas continuaram a andar normalmente. Ele recebeu $32. Quando ele acabou de tocar, ninguém percebeu. Ninguém aplaudiu, tampouco houve algum reconhecimento.

Ninguém sabia disso, mas o violinista era Joshua Bell, um dos mais talentosos músicos do mundo. Ele acabara de tocar umas das peças mais difíceis já compostas, em um violino que valia $3,5 milhões de dólares.
Dois dias antes dele tocar no metrô, Joshua bell esgotou os ingressos em um teatro de Boston onde cada poltrona era aproximadamente $100.

Esta é uma história real. Joshua Bell tocou incógnito na estação de metrô, que foi organizado pelo Washington Post como parte de um experimento social sobre percepção, gosto, e prioridade das pessoas. O cabeçalho era: no ambiente comum em uma hora inapropriada: NÓS PERCEBEMOS A BELEZA ? NÓS PARAMOS PARA APRECIÁ-LA ? NÓS RECONHECEMOS TALENTO EM UM CONTEXTO INESPERADO ?

Uma das possíveis conclusões desse experimento poderia ser:
SE NÓS NÃO TEMOS TEMPO PARA PARAR E OUVIR UM DOS MELHORES MÚSICOS DO MUNDO TOCANDO ALGUMAS DAS MELHORES MÚSICAS JÁ COMPOSTAS, QUANTAS OUTRAS COISAS MAIS NÃO ESTAMOS PERDENDO ???


Você é Corretor de Imóveis? Ou quer ser um?

Prepare-se, algumas características são desejáveis e outras exigidas de você.

A Função básica do corretor de imóveis é por assim dizer “INTERMEDIAR cliente dispostos a comprar ou vender imóveis.

Como profissional ele oferece aos seus clientes o conhecimento necessário para iniciar e encerrar a negociação atendendo todos os requisitos para que ambas as partes saiam satisfeitas e tranqüilas sem que tenham problemas futuros.

A especialização deste profissional, faz com que clientes compradores e vendedores cada vez mais exigentes, direcionem seus negócios para ele.

Muitas vezes o corretor se depara com a solidão que justamente pela lógica dos negócios e pela importância estratégica das informações que ele detém não se pode trocar idéias com ninguém, ele tem que ter paciência e calma para que as coisas aconteçam no momento certo… Isso pode levar meses.

Antes de qualquer coisa, ele deve ter no sangue e gostar muito do que faz, além da paciência ele deve ser proativo, com boa capacidade para lidar com o público, boa argumentação, empatia e ser carismático.

Ter bom conhecimento do mercado, bem informado de tudo que ocorre em sua volta, ter raciocínio lógico e espacial desenvolvido.

O que se vê hoje em qualquer mercado ou função de vendas complexas é a exigência de profissionais bem preparados e enxergando novas possibilidades. Com estas características acima e um pouco de talento e possível se manter por muitos anos neste mercado tão competitivo.


Edifícios Mais Altos de lá e Daqui…

Circulou fortemente na imprensa internacional o anuncio que será erguido o maior edifício do mundo na Arábia Saudita, Edifício Kingdom Tower que terá pouco mais de 1000 metros de altura, sendo 173 metros mais que o Edifício Burj Khalifa, em Dubai.

Pois bem, aqui em Balneário Camboriú também se fala muito que novos edifícios estariam com seus projetos aguardando aprovação com 55, 62 e até 70 andares, que aqui teríamos os prédios; em um futuro bem próximo; mais altos da America do Sul. Em um edifício de 62 andares com pé direito em torno de 3 metros teríamos o mais alto empreendimento da região com 186 metros de altura.

Lá nas Arábias  o fato que chama a atenção é que o Kingdom Tower terá 173 metros a mais que o Burj Khalifa e por aqui o edifício mais alto terá 186 metros de altura.

Ambos arrojados e inovadores, ambos dentro de suas realidades.

 

Edifício mais alto do mundo – Kingdom Tower custará R$ 1,2 bilhão e será construído na Arábia Saudita…

O edifício Kingdom Tower, que será construído na Arábia Saudita, será o prédio mais alto do mundo, com mais de mil metros de altura – pelo menos 173 metros mais alto do que o Burj Khalifa, em Dubai, atualmente considerado o mais alto do mundo, com 828 metros.

A construção do Kingdom Tower, estimada em US$ 1,2 bilhão, deve ser iniciada brevemente, segundo o escritório Adrian Smith + Gordon Gill Architecture, responsável pelo desenvolvimento do arranha-céu.

Segundo o projeto, o prédio tem uma aparência esguia e assimétrica e terá 530 mil metros quadrados de área construída.

A obra foi anunciada pelo príncipe Alwaleed Bin Talal Bin Abdulaziz Alsaud, sobrinho do rei da Arábia Saudita, Abdullah, como parte do projeto de um novo bairro da cidade de Jeddah. A construtora Saudi Binladin Group (SBG) será responsável pela construção do edifício.

O prédio contará com apartamentos residenciais e comerciais, além de um hotel de luxo.

Fonte: O Diário

Link:  http://www.odiario.com/maringaimoveis/noticias/index/460015


Revista Prestando contas Balneário Camboriú…

Prefeitura de Balneário Camboriú demonstra preocupação com o futuro e oferece a população e aos interessados uma publicação que fala das obras concluídas obras em andamento e projetos futuros.

Conhecer a cidade suas características e os projetos para o futuro são primordiais para o desempenho de um bom profissional da área de imóveis.

Investidores, clientes e mesmo moradores da região necessitam de informações pertinentes sobre os projetos para o futuro da cidade e região para que de forma clara entendam o potencial e as possibilidades regionais para os próximos anos.

Sendo Balneário Camboriú uma das regiões que mais crescem no litoral catarinense é importante preparar a cidade para receber os investimentos vultuosos e comunicar aos seus futuros moradores e investidores que a cidade está se preparando para este desenvolvimento.

Acessando o link abaixo, você poderá baixar a revista com muita informação sobre os projetos e obras que darão a bela Balneário Camboriú boa parte da estrutura que necessitará para esta fase de grande crescimento

Link: http://www.balneariocamboriu.sc.gov.br/


A arte de criar valor para o cliente

Infodocorretor

A percepção de valor nem sempre se da simplesmente pelos olhos do cliente, nesta montagem de cenário entram atores que são pressupostos básicos em qualquer mercado. Qualidade, comunicação e produtos adequados devem fazer parte do jogo inicial. Daí pra frente a competência das empresas em colocar a frente de seus clientes profissionais de vendas competentes com sensibilidade suficiente para trabalhar com conceito de valor agregado faz a diferença.

O corretor de imóveis preocupado com seus resultados deve saber entender os sinais de seus clientes e oferecer produtos adequados, valendo-se de suas competências para trabalhar com objeções e mostrar de forma inequívoca o valor do seu produto.

A vontade de obter o produto muitas vezes cai na dúvida que, se naquele momento ela não se mostra além da realidade e possibilidade. Neste momento cabe ao profissional mostrar ao cliente que tudo o que se oferece irá lhe trazer vantagens.

Ao profissional, a vontade de vender deve ter base na realidade de que no momento seguinte o cliente terá a sensação de que comprou algo de valor.

HSM Online

Criação de valor parece ser a expressão do momento: é dita em toda parte, por todo tipo de profissional, sobre quase todo tipo de serviço. “Não basta vender, nós precisamos entregar valor para o cliente” ou “Não podemos mais vender apenas o produto, precisamos vender valor”.

Entretanto, antes de partir para a ação, mudar a missão da empresa e escrever o discurso, é preciso compreender que a visão do cliente sobre o que é valor mudou bastante nos últimos anos. Hoje, ele não está apenas em busca de preços mais baixos. Quer também qualidade, e por um preço acessível.

Em outubro desse ano, o professor Neil Rackham esteve no Brasil para apresentar o Seminário Internacional sobre Inovação em Vendas, pela HSM, e falou sobre o assunto.

Mundialmente conhecido como mestre na aplicação de modelos estratégicos em Gestão de Vendas, Rackham explicou que “valor é algo pelo qual o cliente está disposto a pagar. É o cliente quem determina o valor, não o produto”. “Se o benefício é mais alto que o custo, eu recebi valor.” Assim o comprador classifica os fornecedores de acordo com a importância estratégica do produto ou serviço em questão. Quanto mais alta for essa importância, maior o vínculo entre o cliente e sua empresa.

E mais ainda: se for muito difícil encontrar uma empresa similar para fornecer o mesmo produto ou serviço, o cliente procurará firmar uma parceria com o vendedor, que passa a ser visto como um parceiro de negócios.

Para se chegar a esse resultado, considerado o ideal pela maioria das empresas, as áreas de vendas e marketing precisam trabalhar em sinergia. As vendas podem chegar a um limite quando existem diversos similares no mercado. Nessa hora, é a maneira com que o produto é oferecido e a relação que se estabelece com o cliente que fará a diferença.

Diversos segmentos – como o de equipamentos hospitalares, por exemplo – tem investido em profissionais de vendas com profundos conhecimentos sobre o produto e o negócio. “O vendedor não pode mais ser uma ‘brochura falante’“, aconselha Rackham. “Não se trata mais de simples persuasão, o vendedor precisa agregar tanto valor quanto o produto, resolver problemas, usar a criatividade”.

Aliás, embora pareça óbvio, “resolver problemas” continua sendo uma dificuldade para muitos vendedores. Não porque eles não consigam encontrar uma solução, mas porque simplesmente não ouvem. O pai da gestão moderna, Peter Drucker, dizia que um dos segredos do crescimento é saber ouvir. Quando os clientes lhe faziam perguntas, ele respondia: “Não, eu quero ouvir você, saber quais são seus problemas”.

Portanto, ouça muito, avalie o ambiente de negócios do seu cliente, conheça sua cultura e só então comece a fazer perguntas.

O que cria valor?
De acordo com Rackham, que realizou uma grande pesquisa com 1100 compradores, a coisa mais poderosa que um vendedor pode entregar, em termos de criação de valor, é a mudança de direção estratégica para a empresa. “Mas isso é muito raro de acontecer”, pondera o especialista.

Em segundo lugar ficaram a resolução de problemas e o desenvolvimento de soluções customizadas. Esses itens foram classificados por Rackham como as principais funções do vendedor. “Bons vendedores conhecem muito sobre o negócio (e não só sobre o produto)”. Como se percebe, são todos artigos intangíveis, mas que podem afetar drasticamente os resultados do cliente.

Vendas x marketing
Muitos ainda encaram com ceticismo a sugestão de unir as forças dos dois departamentos – vendas e marketing – na busca pelo sucesso dos negócios. “Nós traçamos a estratégia, mas a força de vendas não segue o planejamento”, diz o marketing. “O departamento de marketing desconhece as nossas dificuldades e as metas que precisamos atingir”, afirma a força de vendas.

Porém, o mercado já deixou clara a tendência para os próximos anos. “A maioria das competências necessárias para o sucesso em vendas tradicionais encontra-se hoje em marketing”, ensina o especialista. Rackham recorda que um dos papéis de marketing é selecionar as oportunidades certas para a área de vendas e criar as ferramentas para cada etapa do processo de decisão do cliente. São elas:

• Reconhecimento da necessidade: o papel do fornecedor é ajudar a identificar seus próprios problemas.
• Avaliação: o objetivo é mostrar como a solução é melhor do que a da concorrência, apresentando propostas superiores.
• Resolução de preocupações: as ferramentas são de redução de risco e eliminação das barreiras à compra, como um testemunho de sucesso ou uma reunião com um cliente já satisfeito.
• Negociação: o objetivo é chegar aos melhores preços e condições possíveis, e as ferramentas de precificação são importantes.

HSM Online

Fonte: http://www.hsm.com.br/artigos/arte-de-criar-valor-para-o-cliente

 


Cachorro com Fome… Esta é a Ordem…

Cachorro com fome quase não dorme, fica atento a tudo e a todos a sua volta, pois a fome aperta e a cada minuto, cada distração pode significar a perda de mais uma oportunidade de encontrar alimento para matar a sua fome.

Pois bem, o corretor de imóveis por essência deve ter este espírito, ter bem claro que por conta das características da profissão a sua atitude deve ser semelhante a do cachorro com fome…   Sempre atento, sempre pronto para levantar da cadeira e botar em prática todo o seu conhecimento e talento, para dar satisfação aos seus clientes.

Preparo técnico, paciência e profundo conhecimento dos produtos e de tudo mais que envolve o momento único da venda de um imóvel são condicionantes ao sucesso de todo o processo.

A propósito de estar atento, como que no mundo selvagem a questão da sobrevivência no mercado de intermediação de compra e venda de imóvel é real e fator de muita atenção, pois a falta de preparo de muitos ”cachorro de barriga cheia” possibilita que o corretor atento, “cachorro com fome”, tenha palco para atuar e receber aplausos ao final. Estamos falando da concorrência que é muito grande e desleal muitas vezes.

Portanto, preparo, conhecimento profundo do produto e muita atenção, indicam que você esta preparado para começar a colher seus resultados.

Sucesso e Atenção.